No dia 14 de fevereiro de 2019, os alunos que frequentam o 8ºano de escolaridade da escola secundária Arquiteto Oliveira Ferreira deslocaram-se à Biblioteca Municipal do Porto para assistirem à peça de Teatro “Auto do CUBO”, numa sessão extra realizada exclusivamente para os alunos desta escola. Neste espetáculo matemático, três atores incorporam um cozinheiro, um futebolista e um bailarino que são teletransportados, inesperadamente, para um cubo gigante, sem janelas ou portas, a única forma de voltarem à vida normal, é resolverem os enigmas matemáticos lançados pelo próprio cubo. Uma aventura recheada de peripécias hilariantes, onde três desconhecidos vão ter de conviver com gostos e estilos bem diferentes, embora sozinhos, os personagens serão ajudados pelos espectadores corajosos que ousem entrar nesta realidade paralela. Será que conseguirão sair do cubo? Desta forma os alunos tiveram contacto, de forma lúdica, com a vertente prática da matemática tantas vezes questionável. Permitiu-lhes uma interação com conceitos matemáticos, que muitas vezes não são entendidos como aplicáveis ao quotidiano, de forma concreta. Este tipo de abordagem é fundamental no fomento do gosto pela disciplina. O convívio em espaços para além da escola promove de forma muito positiva o saber estar e o saber ser. Os alunos comportaram-se bem nos diferentes contextos e demostraram muito agrado pela atividade. Os responsáveis pela atividade foram as professoras: Helena Vieira, Dolores Lopes, Sandra Raquel e Sónia Silva.

Teatro Educa

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

 

 

No dia 14 de fevereiro de 2019, os alunos que frequentam o 8º ano  na nossa Escola assistiram, na Biblioteca Municipal do Porto,  à peça de Teatro “Auto do CUBO”, numa sessão extra realizada exclusivamente para os nossos alunos.

Desta forma os alunos tiveram contacto, de forma lúdica, com a vertente prática da matemática tantas vezes questionável. Permitiu-lhes uma interação com conceitos matemáticos, que muitas vezes não são entendidos como aplicáveis ao quotidiano, de forma concreta.